Constelações Organizacionais ou Empresariais

img-blog003

Constelações Organizacionais ou Empresariais se baseiam  no Pensamento Sistêmico e vem cada vez mais permitindo uma compreensão e abordagem da realidade integral, do Todo, e muitas empresas já estão percebendo e utilizando esse diferencial. A Teoria U, por exemplo, caminha ao lado.

A Consultoria Sistêmica opera dentro desse Pensamento Sistêmico, levando em conta o Sistema onde as ações e relações ocorrem, e utiliza Coaching Sistêmico e Constelações Organizacionais como instrumentos.

As Constelações Organizacionais ou Empresariais se fundamentam em teorias e leis naturais muito antigas, que se tornaram “de vanguarda” atualmente, entre elas a noção de “campo” da Física Quântica, as “ Teorias dos Campos Mórficos e da Ressonância Mórfica” de Rupert Sheldrake, a grande “Teia da Vida” que os xamãs conhecem ha milhares de anos, e a Teoria Sistêmica. Os modernos conceitos de Neurociências e Física Quântica falam que a mente não está localizada no cérebro, ela se expande para fora, num campo holográfico.

Então ao colocarmos uma empresa num espaço físico para ser observada, por exemplo, as sensações, pensamentos, e sentimentos que emergem, criam um campo referente àquele sistema. E todos começam a sentir o campo, veem o esboço da organização e a localização dos diferentes membros, departamentos, clientes e outros elementos importantes, uns em relação aos outros.

As Constelações Organizacionais e Empresariais, também chamadas de Dinâmicas Sistêmicas, buscam obter informações relevantes e diagnósticas sobre um sistema corporativo, e revelam a dimensão invisível das organizações. Podem ser feitas com empresas de qualquer tamanho, incluindo as empresas familiares.

As questões podem ser amplas: definição de lugar e papel dentro de um sistema organizacional, subsídio para tomada de decisões, informação sobre estruturas e relações, conflitos de hierarquia, mudanças de comportamento ou atitudes, crises, entre outros, podendo ainda ajudar na solução de diversas questões causadas por colaboradores afastados ou excluídos, incluindo importantes aspectos envolvendo clientes, fornecedores, colaboradores, mercado e, principalmente, os fundadores.

Devem ser efetuadas com quem detém algum poder decisório e, preferencialmente, os representantes dessas Dinâmicas não devem pertencer à empresa em questão. Muitas vezes usamos a metodologia de dinâmicas ocultas, onde os representantes não sabem quem ou o que representam apenas o dirigente da empresa.

Preferencialmente essas Constelações são feitas em grupo, com várias pessoas participando. Entre elas há o cliente, que pertence à organização e possui uma ou mais questões a serem observadas. E os participantes, que assistem a dinâmica, entre os quais são escolhidos os representantes das idéias, padrões, conflitos, setores como gerências e diretorias, enfim, representantes dos elementos da dinâmica.

As constelações organizacionais podem ser úteis no esclarecimento da pergunta: “O que está acontecendo aqui nessa organização, nesse sistema?”
Ou seja: mostra como as relações e as dinâmicas ocorrem dentro desse sistema, como suas forças e elementos atuam, impedindo ou estimulando seu desenvolvimento, permitindo assim um panorama a partir do qual o cliente pode efetuar suas escolhas e decisões.

Funcionam também como instrumento de mudança. Descobrem e analisam o que está “preso” dentro da estrutura. E também: questões de liderança, conflitos, comportamentos como coalizão e triangulação, comportamentos rebeldes e agressivos, funções mal exercidas, ovelha-negra, bodes expiatórios, tendência em deixar a empresa, fusões, sucessão, examinar o próprio lugar dentro da organização, onde está faltando apoio e suporte, onde e como minha saúde fica em risco, questões de marketing, de produção, problemas na relação com grupos de clientes.
E também olhar questões relativas a trabalho e carreira profissional.

O cliente fornece informações sobre sua questão para que o consultor saiba com que elementos irá começar a dinâmica. Após posicionar os elementos que fazem parte da questão, o cliente senta e assiste. Antes de iniciar qualquer tipo de constelações expomos, em linhas gerais, o que se espera de um representante e sua importância na dinâmica.

Escrito por Lucy Cintra

Compartilhe este post: